Home | 15 Anos | Ano Novo | Vovó Apresenta | Beleza | Dicas | Festas | Formaturas | Natal | Noivas | Receitas | Recém Casados | Reveillon | Vovó Responde

Aniversário infantil, brincadeiras.

fev 16

Segredinho da Vovó.

Veja algumas brincadeiras que você pode promover na festinha do seu filho ou filha.

Como jogar

Tudo o que se precisa é de um espaço retangular, uma bola de tamanho médio e dois times que podem ter de seis a dez participantes.

Tudo vai depender do tamanho do terreno que se dispõe.O campo é dividido em duas partes.

Nos extremos de cada lado, fica um espaço que é chamado de cemitério. Este é o lugar onde os jogadores ‘queimados’ de cada time vão.

Depois de divididos os times e tirada a sorte para saber quem começa com a bola, é dado o sinal.

Um jogador do time que está com a posse da bola deve arremessá-la para tentar atingir um dos adversários, ou seja, ‘queimá-lo’.

Se este conseguir agarrar a bola com as mãos, ele se livra do cemitério e a situação se inverte.

Caso a bola atinja o seu corpo sem ter tocado o chão, ele está fora do campo.

Cada queimado é mandado para o cemitério e passa a ser um colaborador da sua própria equipe a partir da segunda jogada.

Depois de ter queimado alguém, a bola pode ser pega por qualquer jogador, inclusive pelos prisioneiros, para ser arremessada novamente contra o grupo adversário.

O objetivo é liquidar a outra equipe e fazer de todos os integrantes prisioneiros.

Amarelinha

O jogo é antigo, mas continua atual. Conheça a origem e as regras dessa brincadeira de rua.

Você faz idéia da origem do nome de uma das brincadeiras mais tradicionais entre as crianças, a amarelinha?

Há quem acredite que o nome está relacionado à cor amarela ou à expressão “amarelar”. Mas, acredite, não tem a ver com nenhuma dessas alternativas.

Aliás, a brincadeira, que liga céu e inferno em apenas dez pulos, também poderia ser chamada de verdinha, rosinha ou branquinha.

Isso porque a origem do termo não tem relação com uma cor

. O nome vem do francês merelle, que adaptado aos ouvidos portugueses acabou virando “amarela”, que por sua vez virou amarelinha.

Originalmente, a palavra quer dizer “pedaço de madeira”, “ficha de jogo” ou até mesmo “pedrinha” – isto é, qualquer um dos objetos usados para marcar os quadrados desenhados no chão.

No Brasil, a brincadeira recebe ainda outros nomes: academia, no Nordeste, avião, no Rio de Janeiro, maré, em Minas Gerais, e macaca, no Pará.

Como jogar

Para começar, basta desenhar no chão dez quadrados, conforme mostra a ilustração.

O tamanho de cada um deles deve ser suficientemente grande para caber os dois pés de uma pessoa.

Em cada ponta, deve ser feito um círculo: inferno, onde começa o jogo, e céu, onde ele termina.

As crianças (não há um número máximo de jogadores) fazem fila e a primeira deve atirar a pedra na casa de número 1, seguir todo o trajeto até o céu, retornar e resgatar a pedra.

É preciso pisar com uma perna só nas casas individuais ou com os dois pés nas casas duplas. A ideia é ir, a cada rodada, atirando a pedra mais longe até que o alvo seja o céu.

Se jogá-la fora do quadrado, pisar na casa onde ela está ou fora da linha, deve-se voltar para a anterior.

Quem completar primeiro o jogo, ou seja, quem alcançar o céu, ganha.

A brincadeira rende boas risadas e demanda uma dose de concentração.

crianças brincando de estatua

Fica difícil definir quando foi a primeira vez que um grupo de crianças brincou de estátua.

A brincadeira é simples e não demanda muita estrutura, nem muita gente, para render boas gargalhadas.

Se você tiver um som portátil fica ainda melhor, afinal música sempre é uma boa maneira de agitar a criançada.

Como funciona

O ideal é ter pelo menos três jogadores, sendo que um deles será o mestre da vez.

Para fazer esta escolha vocês podem sortear os nomes, tirar o palitinho ou fazer zerinho-ou-um. Feito isso começa o jogo.

Todos andam – ou dançam – livremente até que o mestre grite ‘estátua’ e pare a música.

A partir deste momento, os jogadores devem ficar completamente imóveis e resistir às gracinhas, piadas e palhaçadas que o mestre fizer.

Sua função é distrair os colegas e fazê-los rir ou se mover, mas sempre sem tocar os amigos.

Quem ceder às pressões primeiro perde a vez e vira o próximo mestre.

Fonte http://bebe.abril.com.br

Comentários

comentarios

Deixe seu comentário

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Home | 15 Anos | Ano Novo | Vovó Apresenta | Beleza | Dicas | Festas | Formaturas | Natal | Noivas | Receitas | Recém Casados | Reveillon | Vovó Responde